Autenticação do Usuário
E-mail
Senha
Esqueci minha senha

Ainda não tem seu Perfil Jurid??
Cadastre-se
Jornal Jurid
pesquisa

Quarta Feira, 23 de Julho de 2014 | ISSN 1980-4288


Reversão da demissão por justa causa em juízo não gera direito a danos morais

A Turma isentou a empresa paulista de pagar de indenização por danos morais no valor de R$ 20 mil reais a um trabalhador que, após ser demitido por justa causa, teve a dispensa revertida em juízo

Fonte | TST - Quinta Feira, 19 de Julho de 2012





A empresa paulista Delphi Automotive Systems do Brasil Ltda. foi isentada pela Oitava Turma do Tribunal Superior do Trabalho da condenação de indenização por dano moral a um empregado que, após ser demitido por justa causa por haver se envolvido em uma briga na empresa, teve a dispensa revertida em juízo para a modalidade injustificada. O Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas/SP) havia condenado a empresa a pagar indenização arbitrada em R$ 20 mil.


O empregado trabalhava como operador de produção desde agosto de 2008. Em abril de 2009, após ter se envolvido na discussão com um colega que culminou em agressão física, foi despedido por justa causa. Inconformado, ajuizou reclamação trabalhista e conseguiu reverter a dispensa para sem justa causa. O juízo concluiu que sua participação no incidente foi apenas para se defender de agressão desferida pelo colega, mas negou-lhe pedido de indenização por dano moral.


Ambos recorreram e o 15º Tribunal Regional negou provimento ao recurso da empresa e deu provimento ao do empregado, reconhecendo seu direito ao recebimento da indenização por dano moral. Para o Regional, a reversão da dispensa justificada para a modalidade sem justa causa, por si só, daria ao empregado direito à reparação da sua imagem, "pois, sem dúvida alguma, tal situação causou um abalo na estrutura familiar do trabalhador, bem como uma repercussão exterior na sua vida profissional".


Mas ao examinar recurso da empresa na Oitava Turma do TST, a relatora ministra Dora Maria da Costa afirmou que, de acordo com precedentes do Tribunal, "a demissão, por si só, não acarreta lesão à honra ou à imagem do reclamante, ainda que esta ocorra de forma motivada e judicialmente se converta em rescisão sem justa causa". Assim, reformou o acórdão regional, excluindo da condenação a indenização por danos morais.


A decisão foi por maioria, ficando vencida a Desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria.

 

Processo: RR-123200-85.2009.5.15.0034



Palavras-chave | indenização, danos morais, dispensa, reversão, absolvição

Comentários

comentário Alvaro Bruno - advogado | 24/07/2012 às 09:47 | Responder a este comentário

Aqui não se vê o acórdão na íntegra, para se fazer uma avaliação sem mácula. No entanto, conforme a acusação que leva o funcionário a ser demitido por justa causa, por exemplo acusação de furto, ou outras, como calúnia difamação, se se for provada a inocência do obreiro, cabe indenização independentemente se for a demissão convertida sem justa causa

Deixe sua opinião!

Evite ofensas pessoais, o ofendido poderá localizá-lo através do IP de seu provedor.









O Jornal Jurid pertence à Jurid Publicações Eletrônicas